Nova gasolina com mais etanol pode afetar carros novos; entenda

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, anunciou no final de abril que o Governo Federal está estudando elevar… [ ]

16 de maio de 2023

Bomba de etanol
Studio 51/Shutterstock

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, anunciou no final de abril que o Governo Federal está estudando elevar o teor de etanol na gasolina de 27% para 30%. A principal preocupação de consumidores e especialistas é como essa mudança pode afetar veículos que não têm motor flex, ou seja, movidos somente a gasolina.

Isso porque os últimos testes com esse tipo de carro foram realizados em 2015, no último aumento dessa porcentagem, e a frota que roda no Brasil já não é mais a mesma.

Último aumento de etanol

O último aumento aconteceu em 2015. Na época, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) não identificou que havia impedimentos ao uso da gasolina com mais etanol para os veículos flex, “desde que o combustível comercializado possua as mesmas características daquele enviado pela Petrobras para estes ensaios”.

PUBLICIDADE

A porcentagem, então, passou de 25% para 27,5%. Agora, aumentaria para 30%.

Honda Civic híbrido
Carros híbridos não passaram por testes de 2015 e podem ser os mais afetados (Imagem: Honda/Divulgação)

Como ficam os carros a gasolina?

  • Os carros flex não serão afetados pela mudança, já que, segundo o diretor de Combustíveis da AEA (Associação Brasileira de Engenharia Automotiva), Rogério Gonçalves, em entrevista ao Auto Esporte, eles estão preparados para qualquer percentual de etanol entre 22% e 100%.
  • O problema são os carros movidos a gasolina: Gonçalves afirma que haverá, principalmente, o aumento no consumo de combustível.
  • Na última mudança, um ensaio da Anfavea constatou que, com o percentual de etanol em 27,5%, o aumento do consumo subiu de 1% a 2% em relação ao percentual de 25%.
  • Além disso, outras consequências podem atingir os motores, como o sistema de alimentação de combustível: uma das preocupações é se os sistemas já existentes nos carros podem absorver essa variação de etanol sem maiores danos
  • Para esses fatores serem confirmados, porém, terão de passar por novos testes.
  • Os últimos chegaram a avaliar se os veículos movidos a gasolina aguentariam variações superiores a 27,5%, mas são de 2015, e os carros que rodam nas ruas hoje são mais atualizados do que isso.
  • Assim, os novos veículos movidos apenas a gasolina, como importados e híbridos, podem ser os mais afetados.
Renault Kwid 2023
Carros flex não serão afetados (Imagem: Divulgação/Renault)

Vantagens da mudança

De acordo com uma estimativa da Copersucar, aumentar os níveis de etanol de 27,5% para 30% pode evitar a emissão de quase 3 milhões de toneladas de dióxido de carbono por ano.

Porém, do lado contrário, o etanol é mais corrosivo para os motores movidos somente a gasolina e isso pode trazer danos a esses veículos. Além disso, os novos carros terão que se sujeitar a revisões mais frequentes.

Via Olhar Digital

0 Comentários

Deixe o seu comentário!